Exposição de grávidas a químicos usados em cosméticos aumenta risco de excesso de peso das crianças
February 21, 2020
Bebé a dormir
Cuidados de segurança a ter em casa com o seu bebé
March 3, 2020

Amamentação: Duração, Frequência e Conservação

Doutora Marta Mesquita
Olá mamã.

O leite materno é, salvo raras exceções, o melhor alimento para o recém-nascido! É um alimento vivo, natural, rico em água, nutrientes e imunoglobulinas (proteínas de defesa), sendo o alimento mais completo para o bebé do ponto de vista nutricional, digestivo e imunológico.


Início da amamentação

A amamentação deve iniciar-se na primeira hora de vida, idealmente manter-se em exclusivo até aos seis meses e, sempre que possível, manter o aleitamento materno até aos dois anos de vida.



Importância da amamentação

O leite materno apresenta um reconhecido papel protetor na prevenção de algumas doenças como infeções respiratórias e gastrointestinais, na redução do risco de síndrome de morte súbita do lactente, obesidade e diabetes, bem como na prevenção da doença alérgica.
Para além dos efeitos inegáveis para o filho, a amamentação é também importante na recuperação pós-parto da mulher. Não menos importante, a intimidade proporcionada pelo momento da amamentação é a melhor forma de construção e estimulação do vínculo mãe-filho!
Contudo, muitas vezes o processo de estabelecimento do aleitamento materno é difícil e cabe-nos a todos, enquanto mulheres, familiares e profissionais de saúde, ajudar a mãe para um maior sucesso na amamentação.



Será o leite suficiente?

Algumas mães pensam que o seu leite é insuficiente porque o bebé chora mais do que o habitual e quer estar sempre na mama. Isso pode acontecer se estiver a dar de mamar em horário rígido, esperar muito tempo entre as mamadas, não oferecer as duas mamas e não esvaziar completamente a mama.
O leite materno deve ser oferecido em livre demanda, sempre que o bebé pedir, no máximo a cada 2-3 horas, oferecendo as duas mamas e deixando esvaziar a mama. Na mamada seguinte deve alternar-se e começar pela que ele mamou menos.
Se trocar a fralda com urina mais de seis vezes por dia e o bebé aumentar bem de peso, certamente a produção de leite é em quantidade suficiente!

 

Duração

O tempo de duração da mamada não é importante, pois a maioria dos bebés mamam quase a totalidade em 5 minutos.
Quando o bebé está a mamar a sucção é mais lenta (do que quando tem a chupeta), as bochechas enchem de leite e por vezes ouve-se (e pode observar-se) a engolir o leite.
Quando tal já não estiver a acontecer, a mama estiver mole, houver pouco fluxo de leite a sair e o bebé largar a mama, muito provavelmente já terminou de mamar e pode oferecer-se a outra mama.

 

Frequência

O facto de o bebé estar a mamar com muita frequência pode não ser um verdadeiro problema, mas deve certificar-se que faz uma boa pega, não faz mamadas curtas, esvazia completamente a mama e mama das duas mamas. É muito importante esvaziar a mama, uma vez que o leite no final da mamada tem maior teor em gordura e vai deixá-lo mais saciado.
A composição do leite materno vai sofrendo alterações à medida que o bebé cresce, adaptando-se exatamente às necessidades nutricionais nas suas diferentes etapas de crescimento e desenvolvimento.
Assim, se o bebé aumentar bem de peso e for garantido o anteriormente referido, pode tratar-se de um surto de crescimento que ocorre habitualmente às 2 e 6 semanas de vida e aos 3 meses. Ao aumentar-se o estímulo realizado pelo bebé com as mamadas frequentes, vai produzir-se mais leite e vai ajudar no seu crescimento!


Um recém-nascido pode beber água?

O leite materno é um alimento rico em nutrientes e água. É o suficiente para alimentar e hidratar o bebé enquanto aleitamento materno exclusivo. Não deve ser oferecida água, chá ou outro líquido ao bebé.


Pode dar de mamar se estiver doente?

Mesmo doente, salvo raras exceções, deve manter-se a amamentação uma vez que o leite materno é rico em anticorpos que protegem o bebé. Contudo, a mãe deve ter alguns cuidados redobrados para reduzir a transmissão de infeções como na lavagem cuidada das mãos, uso de máscara e diminuir a proximidade da sua face com a do bebé.
Em caso de indicação para administração de medicamentos, a mãe deve informar-se primeiro com o médico assistente acerca da sua utilização segura durante a amamentação.

Conservação do Leite

Sempre que a mãe quiser ou precisar pode realizar a extração do leite (manual ou com bomba) e reservá-lo para oferecer mais tarde ao bebé. Tendo em conta que a composição do leite materno se vai modificando conforme as necessidades nutritivas e o crescimento do bebé, idealmente o leite deve ser utilizado brevemente após a sua extração.
O leite pode ser reservado em recipientes de plástico duro (polipropileno ou policarbonato) ou vidro, como sacos ou biberão esterilizado.
Contudo, não deve ser misturado com leite anteriormente guardado. Pode ser conservado à temperatura ambiente durante 6 horas, no frigorífico durante 48 horas ou no congelador até 6 meses.
Posteriormente pode ser descongelado no frigorífico e usado nas 24 horas seguintes. Se necessário pode ser “aquecido” antes de oferecido ao bebé, passando em água morna corrente. Não pode ser usado micro-ondas nem aquecido em banho-maria.
 
Conheça os outros temas que já foram abordados pela Dra BabyLoop.
Marta Mesquita

A Doutora Marta Mesquita é formada em Medicina pela Universidade de Coimbra, sendo especializada em Pediatria Médica. Atualmente, exerce funções no Centro Hospitalar do Baixo Vouga.